"Meu deleite é escrever: sobre a enfermagem, o cuidar e o viver" - Onã Silva

Onã Silva - A Poetisa do Cuidar

"...o homem criativo é o homem comum do qual nada se tirou". Abraham Maslow

. Estomaterapia: cuidado à fina flor da poesi... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
.. A viagem fantástica em cordel pela histór... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
.. As ondas revitalizadoras da criatividade n... Onã Silva A Poetisa do Cuidar, Maria Cristina Soares Rodrigues
.. Era uma vez... histórias das práticas do c... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
.. Girassóis nos campos da enfermagem Onã Silva A Poetisa do Cuidar
.. Girassóis nos campos da enfermagem (KIT co... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
.. Só conto pra você Onã Silva A Poetisa do Cuidar
... O monstrão com o pé de alface atrás da or... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
...A Casinha de Clarinha (Coleção Letrita Ca... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
..Cuidar e rimar é só começar Onã Silva A Poetisa do Cuidar
..Grandes Enfermeiras - Histórias da Enferma... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
..Que cordelim lindim Onã Silva A Poetisa do Cuidar
.CORDEL DO TRABALHADOR: do labor até o burnô Onã Silva A Poetisa do Cuidar
.ENFERMAGEM COM POESIA: a arte sensível cuida... Onã Silva A Poetisa do Cuidar, Elioenai Dornelles Alves, Vários autores
.Histórias da enfermagem no universo de corde... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
.Voa Balão! Voa Imaginação! Onã Silva A Poetisa do Cuidar
A Derrota de Penina Onã Silva A Poetisa do Cuidar
A Literatura das Mulheres da Floresta (ESGOTA... Autores diversos
A Quadradinha de Gude - 2ª edição Onã Silva A Poetisa do Cuidar
A Quadradinha de Gude (esgotado) Onã Silva A Poetisa do Cuidar
Anjinho Minho... Mãezinha Minha... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
BOTTON CUIDARTE: Cuidar é arte, brincar faz p... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
BOTTON do livro "Enfermagem com poesia" (kit ... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
BOTTON do livro Estomaterapia: cuidado à fina... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
BOTTON do livro Voa Balão... Voa Imaginação..... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
Coletânea A Arte de Ser Mulher - Poesia Femin... Onã Silva A Poetisa do Cuidar, Vários autoras
Cronistas, Contistas e Poetas Contemporâneos ... Onã Silva A Poetisa do Cuidar, Adilar Signori, Alexandre Bonafim e outros
Enfermagem com Poesia: a arte sensível do cui... Onã Silva A Poetisa do Cuidar, vários autores
ESPELHINHO do livro Enfermagem com Poesia Onã Silva A Poetisa do Cuidar
ESPELHINHO do livro Estomaterapia: cuidado à ... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
Textos


A SAÚDE E SEUS PARADOXOS

A sensibilidade à dor do paciente se esvai, paralelamente, junto com a insensibilidade com que é tratada a questão saúde.

Não valemos.

Prescrevemos: atenção primária à saúde (saneamento, planejamento familiar, vacinação, etc).

Administram: remédios.

Nosso valor está avaliado em admissão sem custos e altas urgentes.

Constroem nosocômios alicerçados em fármacos imediatistas que “curam” aparentemente.

Bem sabemos, bem sabemos que as nossas vestes brancas reclamam, porque estão constantemente respingadas de marcas de sangue que saltam das nossas tensionadas correntes sanguíneas.

Insensíveis são aqueles que investem na dor – albergam as gentes debaixo de alicerces patogênicos; insensíveis são aqueles que suturam as lacerações com emplastros contaminados; insensíveis são aqueles que vomitam falações gordas diante de estômagos nauseados, coalhados e colabados pela fome.

Não valemos! Não valemos diante da situação que nos oprime; querem fazer-nos valer e proclamar saúde, saturando os dispensários farmacêuticos com medicações inservíveis e superfaturadas.

Como fazer-me (nos) valer diante do paradoxal valorização dos profissionais, presenteados com valores chamados vales?

Quanto valem as nossas ações primariamente improvisadas?

Valemos ou não?

Os paradoxos nos permitem analisar que valemos pela ousadia e sermos guerreiros (as) que trabalham para que a saúde não seja eternamente estado comatoso de “bem(mal) estar”.

A fisiopatologia de todo mal que nos aflige é conhecimento, assim é preciso adotar a terapêutica de drenar o abscesso que está entranhado na construção deste alicerce forte; fazer escorrer toda secreção purulenta e fétida que adoece nosso povo e tornam patogênicas as nossas ações.

(artigo publicado no Jornal ABEn DF, 1996)
Onã Silva A Poetisa do Cuidar
Enviado por Onã Silva A Poetisa do Cuidar em 04/10/2009
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Amigo virtual, Onã Silva - A Poetisa do Cuidar convida você para uma visita e para bater um bom papo neste recanto literário-expressivo-criativo. Página de ideias criativas, poéticas e artísticas Criatividade e arte estão no ar! E-mail:onasilva@onasilva.com.br